segunda-feira, 9 de agosto de 2010

no meio do tempo

.


-As crianças da cidade não sabem o que isto é! - dizia o velho de boina na cabeça e debruçado sobre uma vara tosca de ocasião em cuja ponta se formava uma espécie de tubérculo deixando antever que havia, em tempos, arrancado pela raiz tal projecto de eucalipto.
-Lá em França também não, mas ao mais é tudo melhor do que aqui! - Retrucava o emigrante cujo corte de cabelo faz lembrar o Marco Paulo de outros tempos e o copioso espaço entre os dois dentes frontais remete-me a lembrança para o sorriso do Nel Monteiro...
-Tudo menos o Vinho - Apressava-se a rematar um magricelas anónimo que ironicamente segurava uma garrafa de cerveja na mão direita enquanto a esquerda agarrava a parte frontal da excessiva camisa florida e a sacudia em tentativa de espantar o calor...
-O vinho? - reclamava o velho. -O vinho até é das poucas coisas que eles têm de bom! - Continuava ele perante a cara de indignação do emigrante com ar de artista pimba...
Alheias ao fútil palavreado, ambas as crianças se fitaram e dedicaram uma à outra a saudável inveja de quem admira a beleza do próximo!!!
No meio de tudo isto, suspirei... Os olhos embaciavam-se-me já!!!
.
José Eduardo

3 comentários:

Anny Kátia disse...

Amiguinho admiro cada palavra que li nesse texto. Olho pra meu sobrinho, e acho graça as perguntas que ele vem me fazendo, a inocência, a pureza de cada palavra, é triste perceber que no meio do tempo alguns se perdem... Parabéns pelo texto e foto. Muito Giro.

Pedro disse...

As crianças não sabem, e os adultos não querem saber, nem ensinar.É a tal pobreza...Já nem digo de espírito, mas intelectual e cultural. As crianças, como diz Kátia na sua "pureza" e "inocência", têm a sua curiosidade inata pela beleza e estranhesa das coisas que surgem nas suas tenras vidas

Campos disse...

Gostei do pormenor do emigrante françês "ao mais é tudo melhor do que aqui!", eles saiem de lá todos formatados, "pfff lá em França é muito melhor.", para eles tudo o que é da França é muito melhor, só não percebo é porque insistem em voltar cá...
Vou "fazer cuidado" porque qualquer dia ainda vou ouvir na rua um "avec" a dizer que a cortiça francesa ou o vinho do Porto françês é muito melhor que o português!

(Campos)