domingo, 29 de novembro de 2009

A menina do lenço...

. .

sábado, 28 de novembro de 2009

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

uma fotografia premiada

.

Retomando o tema dos fotógrafos de guerra e o fardo que, apesar de por vezes tão pesado, se torna impossivel de largar...

Obrigado Amália pelo link...

.

.

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

voltei a caír...

.
...aínda bem que não foi alí!!!
.


.

terça-feira, 17 de novembro de 2009

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

...de viagem à chuva!!!

. .
Maior qualidade clicando na imagem... :-)
.

domingo, 15 de novembro de 2009

Fatalidade

..
O inverno estaria para chegar... As primeiras folhas caídas anunciavam isso mesmo. Essas folhas que frequentemente aproveitavam o vento para se elevarem e voar de chão em chão buscando o melhor local para murchar e morrer.
Apesar de vibrar com aquele colorido energicamente esvoaçante e com as figuras patéticas que os pombos faziam quando se deparavam com elas, as folhas...
Apesar de adorar caminhar pela paisagem que mantinha o colorido do verão mas cujo clima se havia alterado e não mantinha as temperaturas propícias à languidez.
Apesar me sentir feliz e achar engraçado como a força do vento me permitia inclinar o corpo para lá do que normalmente permitem as leis da física.
Apesar de inúmeros outros aspectos, sempre se apoderava de mim este assomo de tristeza. Interpretava aquilo, a queda das folhas e consequente definhamento até à morte, como uma representação da fatalidade... Hoje, sem crenças ou falsas esperanças, aprendí a viver com a realidade!!!
.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

tied

. .
Para lá do mar há outro Mundo, eu sei, eu sinto, mas não o vejo...
Quero esse mundo distante, olhá-lo em minhas mãos se possível for.
Quero partir de uma vez estas amarras que me prendem, e causam dor.

Eu quero, eu quero!

Um novo mundo p'ra este mundo! Um mundo bom, mundo diferente!
E mostrá-lo depois a esta gente.
Quero pegar neste mau e apertá-lo,
até esmagá-lo.

E olhar depois p'ra este mundo vencido,
como brinquedo de criança... já partido.

Autor(a): Milú Almeida
Data: Agosto de 1968

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Lost in time...

. .
...oito minutos para lá das tantas!!!
.

domingo, 8 de novembro de 2009

Admiring those lights...

..
Não é cenário de filme não... São as luzes desta bela cidade que nos fazem a todos sentir em casa!!! E é esta minha teimosia em sair para fotografar às noites do tempo errado, que o não é!!!
.

sábado, 7 de novembro de 2009

"Burial Postcard"

..
Há, todos os anos, um dia em que o povo resolve fazer um concurso de beleza fora do normal... Nesse dia não se admiram belas faces juvenis nem formas anatómicas emprestadas a um qualquer fato de banho... Nesse dia não se perscrutam inteligências alheias tentando compreender mensagens de Paz e Amor numa frase dita de forma cantada e previamente estudada. Nesse dia não se escolhe ninguém ou, escolhendo, não se pronuncia seu nome... Apenas se inveja, se olha para o que é dos outros tentando encontrar falha ou desleixo... Apenas se exclama em pensamento que outrém fez pior ou, fazendo melhor, que gastaram mais dinheiro e teriam obrigação de muito mais...
Os defuntos ficam para segundo plano!!!
.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Hey funny guy...

. .
Começo a detestar as pessoas consideradas adultas… Começo a incompatibilizar-me com os seus pressupostos, preconceitos e presunções… Começo a ter medo de dialogar com alguém porque sei que a resposta estará prévia e tematicamente orientada mesmo antes de falar. Hoje ninguém dialoga. Hoje esgrimem-se argumentos impermeáveis à opinião e fundamentação alheia. Hoje parte-se para a abordagem a qualquer tema ou situação situando-se do lado errado ao que a ética recomenda, do lado menos sensato portanto, armando se com uma atitude ofensiva e presumindo assertivamente o erro do lado contrário.
Sempre fui dado a um eclectismo cultural que, assumidamente, não consigo alimentar e acompanhar. Porém, a minha sede de conhecimento e gosto pela discussão em assembleia leva-me a partilhar gostos e ideias com pessoas que não se dignam assumir o pouco domínio de algumas questões… Acabo por ser eu, humildemente, a desistir da discussão deixando-as felizes da vida por aquele pequeno momento de enganadora reinação… Um mal que se começa a generalizar!!!

Deixem-me voltar a ser criança…
.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Late Summer

. .
No fim do verão as crianças voltam, correm no molhe, correm no vento. Tive medo que não voltassem. Porque as crianças às vezes não regressam. Não se sabe porquê mas também elas morrem.

Elas, frutos solares: laranjas, romãs, dióspiros. Sumarentas no outono.
A que vive dentro de mim também voltou; continua a correr nos meus dias.
Sinto os seus olhos rirem; Seus olhos pequenos brilhar como pregos cromados.
Sinto os seus dedos cantar como a chuva.

A criança voltou. Corre no vento.
...Eugénio de Andrade...
.

segunda-feira, 2 de novembro de 2009