segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Escuta(-me), o silêncio de Cavaco...

...
Este é o Presidente da República mais político que alguma vez tivemos e, ignorando-se a sua possível sucessão por Durão Barroso, que teremos!!! A sua altivez e vanglória convencem-no que a razão sempre o acompanha e não bastando, usa esses seus defeitos em intervenção política...
Não me lembro de quem terá decretado que a competência de um Presidente da República seja medida na directa relação com a sua capacidade de gerir silêncios mas a verdade é que assim o vejo... Se já Jorge Sampaio foi sempre recompensado pela sua capacidade em estar calado e não se meter em nada, o actual PR fá-lo na perfeição e ainda usa habilmente essa característica como arma política. Refiro-me ao tão badalado caso das escutas ao gabinete da presidência:

A minha opinião aponta no sentido de que é precisamente ao não dizer nada que o PR está a participar activamente na campanha, dando azo a que se tomem as mais variadas interpretações, algumas delas poderão ser completamente injustas, portanto. Se não houvesse caso nenhum e tudo isto nã passasse de mais uma histeria jornalística, Cavaco teria obrigação de o desmentir publicamente, deitando por terra quaisquer suspeitas que neste momento se vão acumulando contra o governo. Se, pelo contrário, há de facto indícios de escutas, a sua obrigação seria a mesma, ou seja, seria seu dever informar os cidadãos interferindo activamente na campanha eleitoral com a verdade. Não vejo porque se há-de ocultar a verdade sob a bandeira da isenção.

De uma forma ou de outra, Cavaco está a interferir na campanha com o seu silêncio. Prefiro que o faça com a sua obrigação, a de regular um estado de direito...

Temo é que a verdade seja muito mais sinistra, e não seja nada mais senão uma macabra jogada movida pelo desespero político e uma inventona do gabinete do presidente da república!!! Ainda me lembro de quando formou governo(s)...
.

1 comentário:

Fancisco disse...

Dons premunitórios e resultado desastroso. Hámales que vèm por bem.