quinta-feira, 30 de junho de 2016

minha mãe

não tenho forças nem vontade de escrever... mas tive outrora... num tempo em que o motivo era bem mais feliz.
Sei apenas que me faz bem chorar, quando consigo chorar, porque a tristeza me enraivece e o choro me vem maioritariamente nas boas emoções.
choro agora a recordar esse tempo, essas boas emoções, de quando tudo parecia durar para sempre.
choro ao ler o que outrora te escrevi e choro ao ler o que outros dizem de ti, porque me faz bem...

"Mãe… Rosa…
Mãe… minha Mãe
Nossa Mãe,
Sabes…
Hoje pus-me a pensar
E quando dei por mim
Era de novo gaiato
Nada pacato
mas voltei a sentir
como se estivesses ali e retrocedêssemos no tempo
que me limpavas a cara suja na circunstância
com as pontas dos dedos untadas em saliva
e caminhávamos ambos ao som do vento
na nossa tosca elegância
íamos ao campo
a masseiras ou ao Suzano
fosse eu ou qualquer mano
tu eras só vaidade
com os filhos em redor
alimentados a amor
criados na verdade
na tolerância
na adversidade
sem abundância…
a não ser de amor e carinho…
Trabalho e pés ao caminho! "

1 comentário:

Aurelio Gonçalves disse...

Força amigo.... um bonito texto, com certeza que a tua querida mãe tem,teve muito orgulho na tua pessoa...
Um Abraço