quarta-feira, 25 de maio de 2011

quietação


Cultivo a languidez
a esta hora que me encontro
julgo-me no ponto
e não,
não é só desta vez...
Amo este bocado
virado para outro lado
rendido à indolência
em estado de dormência
que não é sofrimento
apesar de prostrado
encho-me de alento!
Gosto de ficar
negar o lado de lá
gosto disto
do dormitar
da hora do chá...

...e insisto!
cultivo a pasmaceira
à hora do ocaso quente
altura em que nada se sente e...
...de qualquer maneira,
sorrio, canto, falo sozinho
nada coerente!
Qual pássaro que se entrega ao seu ninho
de palhinha e ervas macias
deixo-me ir, devagarinho
a esta hora... todos os dias!

3 comentários:

Josi Puchalski disse...

Dez! Muito bom!

Oliver disse...

Admirável. Um sentimento profundo está em sintonia com o texto, algo como real. Muito inteligente e tragável.

Viagens pelo Brasil - Conheço essa cidade disse...

Essa foto é simplesmente perfeita, parabéns pelo blog.
http://nossasviagenspelobrasil.blogspot.com/