domingo, 3 de janeiro de 2010

Mandar na vida dos outros

.

.

Dói-me profundamente ver que o povo do meu país se interessa tanto por manter alguém no sofrimento apenas porque sim. Digo isto depois de ler a notícia do JN de hoje que dá conta de que uma auto-denominada "Plataforma Cidadania e Casamento" reuniu já mais de 75000 assinaturas em favor de uma petição que exige a consulta popular em referendo acerca do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

Dou comigo a tentar perceber quais os pontos negativos que ocorrerão contra a sociedade Portuguesa no caso de dois homens ou duas mulheres se casarem e, francamente, não encontro nenhum. Encontro, aliás, vários aspectos positivos como a possibilidade de legalizar judicialmente uma união afectuosa já existente e daí advir a possibilidade de usufruir das regalias que a um casal assiste em Portugal. Acima de tudo vejo aqui a possibilidade de milhares de cidadãos Portugueses poderem passar a encarar a vida com um sorriso no rosto a cada manhã que acordam junto à pessoa que amam e com a qual lhes foi possível casar.

Dou depois comigo a enfrentar um sentido de revolta ao constatar a não argumentação racional de quem acha que um ser homossexual não deve nem pode casar simplesmente porque... porque não!!!

Nunca fui contra a consulta popular. Sou aliás um acérrimo defensor dessa prática nas questões que dizem respeito à sociedade e ao seu funcionamento quotidiano. Em questões que pela sua natureza "fracturante" possam levar a que alguma das facções de pensamento entenda no acto que a integridade física e/ou moral de um indivíduo possa ser posta em causa. Mas desta vez sou contra... Costumo dizer que:

"Não é por a maioria decidir em referendo matar alguém que o sentido democrático vai legitimar a questão"

Por isso... Parem lá com a histeria homofóbica e deixem reinar o Amor!!!

.

1 comentário:

Iolanda Bárria disse...

Concordo absolutamente. é uma completa histeria homofóbica sem nexo nenhum. Sempre achei que mais crítica, menos crítica isto acabaria por avançar sem problemas de maior, mas começo a ficar preocupada com a capacidade de organização e pressão destes movimentos pro-conservadores (75000 assinaturas é de doidos)!